27 de abr de 2011

Quarto não é lugar de briga


Sua casa pode encontrar-se em um campo de batalha, mas seu quarto deve ser o território neutro. Ah, isso é impossível! Estarão vocês pensando porque o quarto está dentro da casa – mas, mesmo durante as grandes lutas há sempre um esconderijo para os soldados descansarem, recuperarem as energias e abastecerem as armas para retornarem à batalha. Seja qual for o problema, você está de um lado e ele do outro. Isso pode ser uma discordância saudável, e pode ter sido isso que atraiu vocês um para o outro. Quando se trata de relacionamento, porém, o foco deve estar no uso comum e não nas diferenças. É importante respeitar a opinião do outro, mas é fundamental não levar para o quarto esses conflitos. A intimidade é uma parceria sem lutas e competições! Não quer dizer que um caloroso debate iniciado na mesa da cozinha não pode ser uma ótima forma das preliminares continuarem no quarto.

Ta, mas como quebrar o constrangimento do clima nublado e entrar para um enrosco gostoso? Com certeza não será daquele jeitinho que uns e outros fazem indo direto com as mãos lá...

Quando duas pessoas se gostam e querem ter momentos de trégua, fazer carinho pode ser apenas a primeira opção. Quando começam o processo de “pensar em” fazer amor, nada neste mundo pode fazê-los se sentir distante!

A arte de fazer amor é um sentimento ímpar na vida de um casal. Melhorar a vida amorosa e fazer com que uma aproximação se torne mais duradoura não implica necessariamente em genitalidade.

Portanto, começar por um bom sexo oral é a melhor pedida. Pergunte o que outro quer de você quando se tratar de intimidade, a fim de satisfazê-lo eroticamente. Use sua boca para vários outros fins que não o beijo.

Bom humor e diversão é a melhor coisa a fazer na vida amorosa para acabar com os preconceitos de que sexo deve acontecer calado, no escuro e os dois muito sérios.

O segredo por trás da arte de fazer amor é deixar que seu parceiro saiba que você está aproveitando cada movimento que ele ou ela está lhe fazendo. Demonstrar com sons e palavras ajudará a aumentar tanto o seu prazer quanto o de quem está compartilhando com você.

No antigo Kama Sutra, o mais famoso livro sobre o amor erótico, onde Kama significava a ciência do amor e do prazer e Sutra significava “expressionâ" a expressão desta ciência já mencionava a importância de perceber os prazeres sensoriais. É disto que aqui falamos do lado espiritual de amor e sexo, a exploração de novas possibilidades eróticas.

Tudo isso é a arte de conviver e de estar constantemente se reencontrando e mantendo o poder de um relacionamento como eternos amantes em um oásis – o quarto - dentro de sua morada.

Portanto, se você se identificou com o que aqui relatamos as pesquisas mostram que casais que proporcionalmente não guardam rancor de mágoas e chateações do dia a dia, que sabem negociar suas vontades e prazeres, que buscam criatividade e bom humor na sexualidade e não levam para a cama seus conflitos pressupõe relacionamentos menos estressados e indivíduos com auto-estima mais elevada. Esses são vocês!!

Se vocês ainda estão com a porta do quarto aberto levando para a cama as magoas do dia a dia leiam novamente nossa coluna e depois conversem com seu coração.

Bom oásis para vocês!!