16 de jun de 2012

MULHER E SUAS CULPAS

Culpa!!!! 
    Esse era é e sempre será o primeiro sentimento que vem quando uma mãe começa a pensar em ter que voltar a trabalhar após a licença maternidade.  Toda mãe quando volta ao trabalho experimenta algum grau de culpa, ela está culpada por deixar o seu bebe, ou a culpa porque  estará desfrutando de algum tempo sozinha para ela novamente. Geralmente elas ficam ambivalentes dizendo que se sentem culpadas porque gostariam de estar com seus filhos, mas também querem voltar à carreira, mas não podem fazer as duas coisas em tempo integral. Estudos recentes mostram o efeito positivo do retorno ao trabalho materno ate no máximo 12 meses do nascimento, sobre o desenvolvimento cognitivo e social da criança.
    Sabe-se que a educação dos filhos irá depende do afeto com qualidade e limites que os pais passam quando estão presente física e emocional. É na conquista, na convivência e na intimidade das relações construídas no cotidiano com os filhos que cresce e frutifica a relação e os cuidados com eles.
Porém a algo fundamental que os pais e não só a mãe esquece quando nasce um filho, a educação através do exemplo e das demonstrações nas atitudes e comportamento de vocês pais. Casais que antes do filho nascer  demonstrações carinho de forma verbal e não verbal, pública e privada, porem com a chegada da criança isso tudo acabou. Que mensagem e aprendizado esse filho irá levar para a vida afetiva dele, que carinho é só entre pais e filhos?       A educação sexual e afetiva continua na gravidez e é o que se leva para toda vida adulta.
    Ao mesmo tempo, durante a gravidez e o puerpério, onde fica aquela energia de algumas mães que eram ativas social e profissionalmente, que se cuidavam, se produziam como mulher, que serviam de exemplo para outras mulheres, que se sentiam produtivas e tinha muito prazer com tudo isso que faziam? Foi tudo sublimado na maternidade?
     A mãe não poderá mais tarde em sua vida comprar (mesmo que inconscientemente) de seu filho que diminuiu sua rotina de trabalho por causa dele.
Então mesmo sendo difícil: a separação deste filho, de ter que treinar alguém para cuida-lo (que não será igual a você – ainda bem!! – para você não ter ciúmes dessa pessoa), do medo que ele não lhe reconheça ao voltar para casa, você verá que ele sobreviveu. E você ficará aliviada pelas demonstrações de felicidade dele ao vê-la.
    Ei, não se esqueça de observar os traços (também) físicos que tem por trás daquele sorriso de seu filho ao vê-la, os do pai. E você pai que pode acha que a vida afetiva-sexual do casal demore a voltar ao que era antes do bebê chegar, faça sua parte chamando a atenção da “mulher” que está ao seu lado para você homem – começando por chamais chama-la de “mãezinha”. Por favor!!!! 

AMOR DURADOURO COM SENTIMENTO E LAZER


     Os problemas sexuais do seu homem na cama pode significar mais do que apenas sexo frustrante ou uma relação que caiu na rotina. 
     Prestem atenção mulheres: ele vem apresentando alguns sinais ou sintomas de indisposição física ou stress? Está acontecendo problemas com a ereção dele eventualmente?  Vocês (o casal) já se preocuparam em avaliar se os problemas de saúde dele podem estar ligados à disfunção erétil?     Há uma forte união entre disfunção erétil e outras doenças físicas e emocionais - ambas podem estar ligadas há um conjunto de fatores de risco como: estresse, obesidade, tabagismo, diabetes, colesterol alto e um estilo de vida sedentário. Tudo isso em última análise, podem mexer com a qualidade de vida sexual de um homem
     Poucos homens fazem um check-up anual, e os problemas de desempenho na cama pode ser um importantesinal de alerta de que algo está errado.
     Dificuldade em ter ou manter a ereção muitas vezes podem ser o resultado de fatores de risco tanto de problemas físicos quanto emocionais, como ansiedade, depressão, crises vitais e ou efeito colateral de certos medicamentos. 
     Os homens devem procurar seu médico ou uma terapia sexual para avaliar os problemas sexuais ou físicos, mas geralmente é a parceira que inicia essa busca – isso se ela está preocupadacom a saúde dele e bem estar tanto do casal.
     O médico – um urologista - provavelmente irá investigar a disfunção, inicialmente com uma boa consulta clinica, e poderá recomendar a praticar uma vida saudável. 
     Os homens que fumam e abusam de álcool sãomais propensos a ter problemas sexuais, porque essas práticas não saudáveis ​​influenciam negativamente na circulação de sangue ao pênis. Para ajudar a ficar saudável sexualmente, inclui comer direito e fazer exercício físico diário. Ao fazer isso, você não só vai gozar de melhor saúde, como também irá desfrutar de melhor desempenho na hora do sexo!
     A ejaculação precoce é também uma preocupação comum que atinge cerca de 35% dos homens. Ejaculação precoce é entendida como a falta de controle sobre a ejaculação, que afeta negativamente o prazer sexual. É quando ele ocorre até um minuto antes ou após a penetração causando mal-estar psicológico. É uma disfunção que raramente tem componente físico. Muitos homens passam anos com este problema e mal sabem que em terapia sexual pode (claro que se motivado) ser brevemente resolvido.
     Então, não pensem que é só com você ou com seu parceiro que isto acontece. Conversem sem constrangimentos sobre o assunto e procurem ajuda quando as preocupações no quarto começarem a acontecer. 
                                                                                                               

QUEM É A AVO DE HOJE?

       Sua avó tem cabelos brancos, senta na cadeira de balanço e conta historia? Ela fica em casa esperando seu avô chegar com o jantar, pronta para ouvi-lo contar sobre seu dia de trabalho? Ela cuida de você enquanto seus pais saem para trabalhar?
       Algumas avós de hoje são diferentes em seu perfil e características. Cabelos brancos nem pensar! Ainda mantém seu lugar no mercado de trabalho, com significativa participação financeira na renda familiar, fato este que incomoda alguns avôs.
Amam seus netos, mas aos finais de semana encontram-se com eles em restaurantes ou convidam para o almoço de domingo de tele entrega! Encontramos muitas destas mulheres mais velhas viajando em grupo, tendo em vista que os maridos são mais acomodados e preferem ficar em “seu cantinho”. Desta forma, o neto muitas vezes é companhia ideal.
       A avó tem procurado falar a mesma linguagem, aprendeu a mexer no computador, pertence a redes sociais, expõe seu pensamento e imagem, possui email, sendo muitas vezes induzida a tal, pelos “universitários mais próximos” - seus netos.
Podemos perceber a mudança destas avós pela ampliação do sua network. Elas interagem entre vários grupos, de amigas, viagens e pela internet tem acesso tanto a filhos distantes, quanto ao mundo.
Apesar destas mudanças elas continuam paparicando os netos como não faziam com os filhos. Podem fazer com eles todas as travessuras que queriam fazer com seus filhos e não podiam, porque precisavam lhes dar limites. Hoje, esta função é dos pais e não da avó.
       Só que neste novo contexto temos uma mulher “a mil”, super ativa e um homem que também pode estar pronto para namorar, sentindo-se muitas vezes desprezado e pouco valorizado em seu desejo.
Então, cara vovó de cabelos loiros com mexas, disfarçando bem os brancos, que malha, mexe na internet, viaja com seus netos, trabalha, sai regularmente com seu grupo de amigas, não está esquecendo nada? Só de sensualidade não vive. Para manutenção de uma relação com afeto, desejo e “dormir empernado”, é fundamental olhar para o lado, para o avô.
       E aquelas avós que não tem um avô em casa, bem.... isso é ouuuuuutraaa história!!!!!