18 de jan de 2012

Ciúmento, eu?!?



         O ciúme é uma emoção que todos nós experimentamos em algum momento de nossas vidas. Quem não sentiu o desejo de ter seu amado só para si? Ou fica mal quando ele dedica seu tempo e atenção para outra pessoa ou circunstancias? Isso é completamente normal. Mas, algum de nós consigo controlar melhor que outros a briga dos monstros internos que estas situações provocam.
         Os casos de ciúmes quase sempre rondam os mesmo motivos, como os colegas de trabalho do parceiro. Naturalmente, isso deixa você mais chateado, e essas caras e bocas o afastará e menos tempo ele vai querer gastar com você. Em contra partida se você criar a sua própria vida emocionante (com o trabalho, colegas, amigos e interesses) para se dedicar, provavelmente isso irá fazê-lo também “cuidar” de você.
         Outra situação muito comum é o desejo de que o “parceiro” tivesse nascido no dia que vocês se conheceram e com isso viesse sem passado amoroso-sexual. O que importa é que agora, ela escolheu você. Tenho tido muitos pacientes homens com uma curiosidade quase mórbida (da relação) pela experiência sexual anterior de suas parceiras. Eles querem detalhes de tudo, a ponto da mulher se cansar e terminar a relação por causa desta obsessão. A relação deve ser baseada na confiança e aceitação, não em um parceiro tentar controlar o outro através de ciúme retroativo.
          Ciúmes dos filhos do parceiro, esse é clássico e perigoso. Você o conheceu com pacote: filho e ex. De repente achou que quando ele estivesse na sua mão poderia eliminar o pacote. Oh, oh! Perigo! Nesta situação, você tem que ser sensata e madura. Se você falar e lidar com afeto com os filhos dele provavelmente irá se sentir mais segura e sob controle.
          Também existe o ser ciumento, pelo desejo da traição. Você quer outras mulheres (ou homens) e imagina que o outro sente os mesmos impulsos. Geralmente é errado, porque as pessoas não têm os mesmos desejos e fantasias!
          Quando a pessoa quer o outro só para mim. No ciúme há muitas vezes o aspecto que vem da possessividade. Eu quero para mim, para meu bem-estar só. Então, eu estou com ciúmes quando ele mostra um desejo pequeno para a liberdade. 
         E eu posso ser ciumenta, porque estou com muito medo. Medo da solidão.  É um problema pessoal e é por isso que, quando o ciúme vai além do que é suportável, a psicoterapia é necessária para o sucesso  vivem felizes juntos! Dito isto, há um ciúme natural, por fatos reais e não fantasia. 
         Obter o controle de seu ciúme não significa obter o controle de seu parceiro, que significa obter uma alça sobre suas próprias emoções.
Todo mundo precisa de amigos e interesses fora do relacionamento. Discuta isso aberta e honestamente com seu parceiro e faça alguns acordos com ele, quanto à liberdade, tempo de dedicação um ao outro…
         E tenha ciúmes sim, mas do tempo que você está dedicando a ter ciúmes do outro e não ao seu amor-próprio e autoconfiança.