2 de jan de 2012

A ESCOLHA DO PAR PERFEITO



      Quem não gostaria de saber como achar a cara metade “perfeita”? Aquela que não irá dar problemas, que só construirá felicidades ao seu lado?
      Tem gente que tem certeza de ter o “dedo podre” para escolher um parceiro. Tipo, se existirem duas pessoas tentando conquistá-la, provavelmente irá pegar justamente aquela que trará problemas futuros.
      A busca pelo amor é o resultado do que você aprendeu e viveu em sua educação e formação infanto-juvenil com as experiências de vida. Coisas como um cheiro delicioso, uma cor de cabelo bonito, um grande senso de humor fazem parte disso.        É o significado tanto do que é sensual quanto emocional baseado em suas vivencias.
      Isso quer dizer que este mapa da atração - do que se quer de alguém - pode ser constantemente modificado, como resultado dos grandes acontecimentos ou relacionamentos de sua vida. Seu primeiro amor pode definir um padrão de atração, porque ele foi tão bom ou tão tumultuado. Ou o sua separação poderá ter causado um trauma a ponto de só encontrar parceiros indisponíveis.
     Compreender qual é o perfil da pessoa que melhor se encaixe ao seu jeito de ser é a chave da questão. Isso requer paciência, ficar sozinho com seus botões e principalmente deixar o tempo passar não ficando com medo da solidão temporária.
     Quando você e seu parceiro se encaixam como duas peças de um quebra-cabeça, é para uma série de razões - boas e más. A vantagem de estar com alguém que se adapte ao seu jeito de ser é entrar numa euforia incontrolável durante a paixão melhorando o físico, o emocional e o espírito das duas pessoas. A desvantagem é quando a atração se dá por alguém que ressuscita os conflitos, grandes ou pequenos, mostrando então que seu inverno ou sua hibernação para refazer seu perfil do amor ideal ainda não tinha terminado e que provavelmente você se atirou na primeira opção que surgiu ou ativou seu “dedinho podre”. 
     Se você cresceu com os pais que apresentaram uma relação saudável e amorosa, você provavelmente terá experiências afetivas positivas. Isso também poderá ajudar a ter pensamentos bons sobre como homens e mulheres devem tratar uns aos outros, inclusive sobre como a atração sexual deve se manifestar em um relacionamento.
     É claro, poucas pessoas têm uma infância sem conflitos, mas como já mencionei acima o processo de atração em busca de um parceiro amoroso não se baseia só no convívio familiar.  Mesmo se seus pais não tinham um casamento afetivo amigável, você poderá na adolescência ter vivencias amorosas saudáveis que a levarão a escolher parceiros que ensinem a desenvolver afeto e amor para conviver com o melhor que você pode ser.
      Então, para se certificar de que você sabe o que quer ao atrair um parceiro, é importante examinar quais são as qualidades que quer desta pessoa. Identificar os principais fatores que influenciaram na atração, aprender o que você precisa e espera de um relacionamento, e empenhar-se para encontrar uma parceria que atenda às suas expectativas e necessidades de uma forma saudável. 
      Como diz o velho ditado, quem não aprender entendendo a sua história anterior estará condenado a repeti-la... Especialmente quando é a sua história!