1 de ago de 2013

MEDO OU ENTREGA?

Hoje em dia as pessoas estão com tanta sede de se apaixonar, mas ao mesmo tempo morrem de medo da entrega. Este era um pensamento predominantemente masculino há algum tempo atrás. Claro que se perguntarmos aos homens, eles negam esse sentimento, do mesmo jeito que negam a infidelidade. Porém mulheres que passaram por alguns conflitos amorosos acabaram contaminadas pelo “medo de se apaixonar”, “receio de perder o controle” ou até se poderia dizer “não entregar mais o ouro aos bandidos”.
Agora, também se pode pensar que dentro de todo este contexto, caso em algum momento acontecer a “entrega”, esta é uma questão puramente de sensibilidade, de química e de confiança mutua entre esse casal.

O fato central que temos que entender é o quanto realmente de investimento profundo depositamos na relação de entrega? É neste momento que entra um trabalho constante contra o temor de continuar compartilhando a intimidade, com o pânico profundo de se apaixonar. O que libertaria o homem deste medo, da timidez afetiva, é a ajuda da parceria.

O sentimento verdadeiro irá se definir na beleza da constante conquista. Não a beleza externa, mas a beleza que sentirá quando permite que tanto você quanto seu amor - sua amante – possa crescer com individualidade, ao seu lado. O amor é alimentado, dando espaço, sem o temor de perder a liberdade. Por isso, você deve definir porque “a entrega”, e para que deixar crescer um sentimento mais nobre e belo em sua vida. Lembre-se que para que isso aconteça você tem que admirar seu parceiro, dividir os momentos bons e ruins ao lado dele, saber ouvir, mas também falar de você. Aprender a confiar o suficiente para dar espaço físico e mental para o seu parceiro, e você terá um relacionamento confiante e feliz. A felicidade, dizem ser indescritível, mas você quando está satisfeito o seu sentido de admiração e entusiasmo aumentam e você permite ser feliz enquanto totalmente entregue até nos lugares mais difíceis da sua vida, como numa floresta, por exemplo.

Tente!