1 de ago de 2011

Sexo solução:é bom,gostoso e não engorda

Sem vergonha, sem preguiça e sem problema. Com essas características, a vida sexual faz bem à saúde, aumenta a cumplicidade entre os parceiros, relaxa, alegra o dia e ainda deixa você mais bonita. Aqui, muitas ideias para chegar lá
Nayarah Nogueira
 
Se você acredita na máxima “tudo que é bom, engorda”, esqueceu de uma deliciosa exceção: o ato sexual. É bom, de graça, saudável e ainda ajuda a emagrecer. Vamos começar por essa última vantagem. "A perda calórica por ato sexual pode variar de 100 a 150 calorias. Isso corresponde a caminhar 20 minutos em ritmo moderado”, compara Lúcia Pesca, sexóloga, de Porto Alegre. Faça os cálculos: duas vezes por semana pode representar até 1 quilo a menos em um mês. Nada mau! É claro que isso dependerá da sua dieta e também da duração e da intensidade do sexo. Mais importante que a perda calórica, porém, é o bem que o sexo faz. “Os batimentos cardíacos são acelerados, os órgão internos massageados, a circulação sanguínea e a linfática intensificadas. A produção de hormônios e endorfinas contribui para uma sensação de bem-estar, sendo um excelente antídoto para a depressão e a ansiedade”, lista Amaury Mendes, médico e sexólogo, do Rio de Janeiro.
Por todos esses motivos, a Organização Mundial da Saúde, desde 2000, inclui o sexo como um dos prérequisitos para a qualidade de vida, tão importante quanto praticar exercícios e se alimentar bem. “É claro que estamos falando de relações com qualidade, ou seja, com vínculo afetivo, satisfação e segurança. Sexo prazeroso é um prêmio da vida adulta, e a durabilidade dessa conquista dependerá do esforço da manutenção”, afirma Lúcia Pesca.
Sustentar uma vida sexual criativa e divertida não é fácil. “Sexo em casamento antigo é como carro velho. Precisa de manutenção, ajustes, mais óleo e, às vezes, só um martelinho de ouro para ajudar”, compara Adriana Azevedo, engenheira química. Casada há 13 anos e com dois filhos, ela conta uma história conhecida de muitas mulheres. “Na correria do dia a dia, com solicitações das crianças, do chefe, da empregada etc., muitas vezes eu passava dias sem olhar com calma para o meu marido. Na cama, parecíamos dois desconhecidos, exaustos, com sono”, relembra Adriana. Até que ficaram meses sem ter relações, e aí a vida pareceu triste, o casamento apagado. “A crise exigiu dedicação para levantar nosso pique sexual. Uma coisa legal que fiz foi, depois de cada transa, escrever como tinha sido e como eu tinha me sentido, sem pudor de medir palavras, num tom excitante. No dia seguinte, mandava para ele no trabalho, e ele voltava para casa com mais vontade de continuar”, confidencia Adriana. Ela relata outro benefício: depois da retomada sexual, a relação ficou mais leve e as discussões rarearam. Mágica? Não, química

 

Corpos que conversam

“A carícia sexual incentiva a produção de substâncias que, entre outros efeitos, promovem sentimentos de afeição e de proteção em relação ao parceiro”, explica Lúcia Pesca. No dia a dia, isso pode representar uma atitude mais generosa, menos defensiva e mais cúmplice com o outro. O casal se torna mais unido, baixa a guarda e passa a associar o parceiro a momentos de alegria e êxtase. Além disso, o sexo pode ser um fator descomplicante” na vida a dois, reduzindo a quantidade de sessões D.R. (discussão da relação), tão temidas e rejeitadas pelos homens. “Chega uma hora em que a discussão esgota. Você reclama e ouve dele sempre a mesma coisa, como se fosse uma conversa programada por telemarketing, com todas as falas preestabelecidas”, compara Vivian Nascimento, publicitária, que mora com o namorado há seis anos. Quando o namoro entra nesse clima, ela já sabe que é o momento de pegar a estrada para um fim de semana de lua de mel. “São conversas que não levam a nada e só nos estressam mais. Depois de um fim de semana romântico, nós nos sentimos mais calmos, amorosos e parece que tudo foi resolvido”, conta Vivian. Na intimidade, abre-se espaço para o olhar, o toque, os carinhos e a troca. O outro sente-se alimentado e recebe a principal mensagem que você quer transmitir: “Eu te amo e te desejo”. Com essas certezas, os problemas do dia a dia diminuem, já não é preciso falar tanto. “Transar é a maneira mais verdadeira, nua e crua, de comunicação. A intimidade não permite disfarces, simulações ou máscaras. Os amantes revelam-se como são e entrosam-se em outro patamar, mais intenso e edificante, muito importante para a realização do casal”, finaliza Maria Helena Vilela, educadora sexual e diretora do Instituto Kaplan, ONG de educação sexual, em São Paulo. Portanto, deixem aquela conversa séria para depois, quando os corpos já tiverem sido inundados pelos hormônios. Nesse clima de bem-estar, só sobrarão palavras de amor, entendimento e profunda união.


Operação RESGATE
Sete conselhos deliciosos para esquentar romances de longa data
1 Retome o passadoA excitação e o frescor da relação ficaram para trás? Então vá até lá e traga algo significativo desse período. Vista uma peça de roupa que guardou daquela época ou use o perfume dos tempos de início de namoro. Esses detalhes têm o poder de suscitar emoções antigas e gostosas, trazendo um tempero especial para o presente. Ou que tal um programinha dos anos dourados? Ir ao drive-in ou transar na casa da sua mãe, escondidos, pode ser muito excitante. Você troca o conforto pela aventura e pode ter ótimas surpresas.
2 Renove-se para o futuro
Se você acha que conhece tudo sobre ele, perigo à vista. Talvez esteja repetindo carícias e abordagens que já não lhe interessam mais. Observe-o. O que ele mais olha em você? Invista nessa parte do corpo. Ele anda ligado em computador? Use a net para trocar mensagens eróticas. Ele gosta de salto alto? Abuse deles. Você também pode trazer surpresinhas no próprio corpo. Pintar as unhas de vermelho (se não costuma fazer isso), comprar uma saia mais curta, fazer uma depilação diferente, uma tatuagem de henna ou mudar a maquiagem... Pequenos detalhes não assustam e costumam agradar.
3 Defina um estilo
Uma transa pode ser romântica, zen, pornô, com toques temáticos... Produza o quarto com mimos que façam vocês se sentirem em outro mundo. Incenso, cor da lâmpada, a bebida que mais combina com a brincadeira. Nada exagerado para não deslocar o foco. Seja sutil.
4 Busque inspiração
Amplie seu repertório erótico com ideias pesquisadas em livros, filmes, sites e blogs com informações sobre sexo, CDs com músicas que inspiram o amor, revistas com reportagens sobre o assunto ou mesmo as pornôs. Melhor ainda se vocês puderem fazer isso juntos. Durante o “estudo”, vão identificar o que os excita.
5 Cultive a intimidade
Ela não acontece na cama. É construída conversando, trocando olhares, rindo juntos ou mesmo revendo fotos, vídeos ou cartas que marcaram a história de vocês. O importante é mostrar-se interessada no outro. E, se o dia a dia parece contaminado, fujam! Viajem, saiam para jantar, passeiem só os dois, abram espaço para ficarem sozinhos. E beijem-se muito!
6 Erotize a comunicação
Gentilezas, provocações, olhares e pequenos gestos durante o dia vão alimentando a vontade de estar com o outro. Mande um torpedo para ele ou deixe um recadinho amoroso na porta da geladeira. Você também deve se erotizar lembrando de noites prazerosas e imaginando o que podem fazer juntos na cama.
7 Faça-o sentir-se o tal
As pesquisas concordam em um ponto: o homem enlouquece quando percebe que consegue dar prazer à mulher. Portanto, deixe isso claro antes da relação e durante. Não precisa fingir, mas também não seja discreta ao manifestar quanto está gostando de estar com ele.

 

SOZINHA, com prazer

Só porque alguém está sem parceiro vai abdicar do erotismo? De jeito nenhum. Proporcionar-se satisfação sexual é um importante meio de melhorar a autoestima e a intimidade com o próprio corpo. “A masturbação é fazer amor consigo mesma, é cuidar-se e investigar os seus caminhos para adquirir prazer”, afirma a sexóloga Lúcia Pesca. Sem estímulo para ir sozinha? Então prepare um momento para você. Uma taça de vinho, um filme ou um livro erótico podem acompanhá-la. Mas os especialistas garantem que o que funciona mesmo é a mulher colocar a imaginação para funcionar. Confie no corpo: assim que você começar sua historinha, ele vai procurar o prazer instintivamente. O importante é deixar o julgamento, os preconceitos e qualquer vergonha de lado. Nesse script, é você quem manda. Deixe-se guiar livremente!