16 de jun de 2012

QUEM É A AVO DE HOJE?

       Sua avó tem cabelos brancos, senta na cadeira de balanço e conta historia? Ela fica em casa esperando seu avô chegar com o jantar, pronta para ouvi-lo contar sobre seu dia de trabalho? Ela cuida de você enquanto seus pais saem para trabalhar?
       Algumas avós de hoje são diferentes em seu perfil e características. Cabelos brancos nem pensar! Ainda mantém seu lugar no mercado de trabalho, com significativa participação financeira na renda familiar, fato este que incomoda alguns avôs.
Amam seus netos, mas aos finais de semana encontram-se com eles em restaurantes ou convidam para o almoço de domingo de tele entrega! Encontramos muitas destas mulheres mais velhas viajando em grupo, tendo em vista que os maridos são mais acomodados e preferem ficar em “seu cantinho”. Desta forma, o neto muitas vezes é companhia ideal.
       A avó tem procurado falar a mesma linguagem, aprendeu a mexer no computador, pertence a redes sociais, expõe seu pensamento e imagem, possui email, sendo muitas vezes induzida a tal, pelos “universitários mais próximos” - seus netos.
Podemos perceber a mudança destas avós pela ampliação do sua network. Elas interagem entre vários grupos, de amigas, viagens e pela internet tem acesso tanto a filhos distantes, quanto ao mundo.
Apesar destas mudanças elas continuam paparicando os netos como não faziam com os filhos. Podem fazer com eles todas as travessuras que queriam fazer com seus filhos e não podiam, porque precisavam lhes dar limites. Hoje, esta função é dos pais e não da avó.
       Só que neste novo contexto temos uma mulher “a mil”, super ativa e um homem que também pode estar pronto para namorar, sentindo-se muitas vezes desprezado e pouco valorizado em seu desejo.
Então, cara vovó de cabelos loiros com mexas, disfarçando bem os brancos, que malha, mexe na internet, viaja com seus netos, trabalha, sai regularmente com seu grupo de amigas, não está esquecendo nada? Só de sensualidade não vive. Para manutenção de uma relação com afeto, desejo e “dormir empernado”, é fundamental olhar para o lado, para o avô.
       E aquelas avós que não tem um avô em casa, bem.... isso é ouuuuuutraaa história!!!!!