14 de out de 2012

SER PAI

É isso! Todo homem tem o direito a ser pai. De preferência quando assim o quiser, porém, só alguns conseguem escolher esse momento.
Interessante essa lógica do poder ser pai porque o mais lógico ainda é “querer ter um pai” quando já se é filho de um pai que não quis assumir a paternidade.
    Fico divagando em cima das palavras para que, de alguma forma, trave o pensamento, para que ele não saia aos borbotões e recheado de emoções a respeito do assunto. Mas, vamos lá, imaginar essas crianças abandonadas por pais que não tiveram a “oportunidade e o esclarecimento” de entender o que significa só pensar no seu prazer momentâneo e não nas consequências de seus atos sexuais. Esses seres indefesos ficam à espera (novamente) de alguém que os desejam.
    Muitas sociedades ainda acreditam que essas crianças ficam melhor sozinhas (abandonadas) do que sendo adotadas por um casal de pessoas iguais – porém não diferentes. Essas sociedades chamamos de homofóbicas (quem tem um comportamento crítico, hostil e discriminativo em relação à orientação não heterossexual). Eles não nasceram pensando assim, isso lhes foi ensinado, mas como tudo na vida, só não mudamos o que não queremos.

    Contudo, as portas do coração não tem gênero e podem ter escolha. A paternidade homossexual tem sido a mira nos últimos anos dessas críticas, mas também felizmente dessas escolhas por adoção dessas crianças abandonadas, mesmo enfrentando toda discriminação da sociedade.
    Pais homossexuais, muitas vezes, tendem a ser mais motivados, mais comprometidos do que os pais heterossexuais porque eles optaram por ser pais.
    Pais gays raramente se tornam pais por acidente, em comparação com a gravidez não planejada ou outras organizadas “sem querer”, por algumas mulheres, heterossexuais.  É por isso que falamos em um maior empenho no envolvimento destes casais na adoção e criação de seus filhos.
    Por isso, temos que apoiar e valorizar a atitude e a batalha dessas pessoas, porque se já é difícil para um casal de lésbicas pretender ter um filho, é ainda mais difícil para um casal de homens homossexuais. Aqueles que decidem fazê-lo são, portanto, extremamente empenhados e perseverantes em sua decisão e motivação.
    Não é uma questão de bandeira política e sim um destaque àqueles que desejam e fazem também por amor aos valores que receberam de suas famílias.
                                Parabéns a TODOS os pais!!!!